Vale do Ivaí quer se tornar polo produtor de frutas de qualidade.

0
230

A produção de frutas de qualidade – e o turismo rural que pode ser agregado a essa atividade – desponta como uma importante opção de renda e diversificação da propriedade que está atraindo a atenção dos produtores rurais da região de Apucarana. Esse cenário ficou comprovado com a realização do 1º Seminário de Fruticultura e Conservação de Solos e Água do Vale do Ivaí, que reuniu 300 pessoas entre produtores, técnicos, prefeitos e estudantes de universidades.
O evento aconteceu nesta semana em Jandaia do Sul e os participantes vieram dos 27 municípios que integram o programa “Território do Ivaí”, que tem apoio do Governo do Paraná.
De acordo com Mário Bezerra Guimarães, chefe do núcleo da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento em Apucarana, também organizador do evento, a região já produz uma diversidade de frutas como goiaba, banana, uva, pitaia, abacate e morango, entre outras. “Com a realização do seminário buscamos aproximar os produtores para que eles tenham mais facilidade de conversar entre si e juntos buscar novas tecnologias”, disse Bezerra.
Para o chefe do núcleo, a organização dos produtores representa um passo fundamental para o desenvolvimento de um polo produtor de frutas no Vale do Ivaí, conforme a prioridade definida pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento.
Para explicar os benefícios e os valores agregados que podem ser gerados com a produção de frutas, a organização do seminário trouxe representantes do Consórcio do Polo Turistico Circuito das Frutas de São Paulo, como José Augusto Maiorano, técnico da Cati- SP (empresa de assistência técnica paulista) e Renê Tomazeto , presidente da Unifrutas, do estado de São Paulo.
Bezerra explica que municípios paulistas, tradicionais produtores de frutas, agregaram o turismo rural, que está gerando valor à atividade. “São Paulo pode ser um modelo inspirador para ampliar a visão do produtor de frutas do Paraná. Para ele se conscientizar que a atividade que ele exerce pode se tornar uma excelente fonte de renda”, disse.
Além do modelo do Circuito das Frutas de São Paulo, os participantes do seminário conheceram também a Hortinorte, projeto da Secretaria Estadual da Agricultura e do Abastecimento voltado à comercialização de frutas e legumes na região Norte do Estado. Apresentado no evento pelo técnico da Emater Nilson Ladeia de Carvalho, a Hortinorte auxilia na organização do produtor e o motiva a melhorar a apresentação do que ele já produz para atender à demanda do consumidor.
NA PRÁTICA – Para a prefeita de São Pedro do Ivaí e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Ivaí, Maria Regina Della Rosa Magri, a realização do Seminário de Fruticutura e Conservação de Solo e Água do Vale do Ivaí “inaugura uma grande oportunidade para a região incrementar políticas de fortalecimento da diversificação agrícola, além do despertar social para a grave questão da erosão do solo, fato que muito preocupa as administrações municipais”.
Segundo Bezerra, o estímulo à fruticultura na região terá continuidade. “Vamos dar atendimento às ações na produção e comercialização de frutas com a promoção de reuniões locais e regionais, discutir com as prefeituras. Também estamos organizando uma comitiva de produtores que vai visitar o Circuito das Frutas, em São Paulo, para conhecer in loco o desenvolvimento na produção de frutas e no turismo rural naquele Estado”, acrescentou.
CONSERVAÇÃO DE SOLOS – O seminário discutiu também temas como Mudanças Climáticas, Erosão do Solo, Leis de Proteção ao Solo e Formas de Educação Ambiental, abordados pelos técnicos Pablo Ricardo Nische, do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), e Nelson Harger, coordenador da Campanha Plante Seu Futuro, pela Emater.
O chefe do núcleo da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento em Apucarana, Mário Bezerra Guimarães, explica que a erosão é um problema que está preocupa as prefeituras porque prejudica a tráfego nas estradas rurais, a fertilidade dos solos e influencia na queda de produção agrícola nos municípios. Além disso, o excesso do uso de agrotóxicos nas lavouras é outro problema que preocupa porque impacta diretamente na qualidade da produção agrícola e na oferta de alimentos seguros aos consumidores.
Todos esses temas são tratados pela Campanha Plante Seu Futuro, da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Emater e entidades parceiras, que têm o objetivo de conscientizar sobre a redução do uso de agrotóxicos nas lavouras, com a orientação de aplicar esses produtos somente quando necessário. Ou seja, quando pragas e doenças estiverem causando prejuízos econômicos nas plantações.
A campanha Plante Seu Futuro tem como proposta ações permanentes de divulgação e capacitação de boas práticas agrícolas no campo com as tecnologias já disponíveis para profissionais e produtores rurais. Essa fase do seminário contou também com a participação do técnico Ralph Rabelo Andrade, da Agência de Defesa Agropecuária (Adapar), e Daniela Janaina Pereira Miranda, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente.
O coordenador evento destacou a mobilização das instituições parceiras para a realização do encontro, como a Associação dos Municípios do Vale do Ivaí, Emater, Instituto Federal de Educação – Campus de Ivaiporã, Adapar, Território do Vale do Ivaí e as prefeituras de Novo Itacolomi e Jandaia do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui