Coronel Carstens:“ O nosso almoxarifado central, o Sepat, inclusive é referência no setor de compras públicas”

0
248

Faça parte do grupo de notícias de O Diário de Maringá no WatsApp neste link https://chat.whatsapp.com/Ir5qcByldAhFREMQF00u54

Faça parte do grupo de notícias de O Diário de Maringá no Telegram neste link https://t.me/odiariodemaringa

Os vereadores que compõem a CPI da Saúde ouviram o secretário de Patrimônio, Compras e Logística, Coronel Carstens. Além de Flávio Mantovani (presidente da CPI), Sidnei Telles (relator) e membros Alex Chaves, Mário Verri e Chico Caiana, também participaram servidores que estão assessorando os trabalhos da comissão parlamentar de inquérito instaurada.

Na opinião de Carstens, a fala do secretário de Saúde, Jair Biatto, motivadora para a abertura da CPI, foi colocada em um momento infeliz. “Claro que o Jair Biatto também precisará ser ouvido na CPI, mas podemos dizer que foi uma fala equivocada, dita em um momento de estresse por conta da pandemia do novo coronavírus”, disse.

O secretário negou haver nas compras da Prefeitura de Maringá a prática de se pagar até três vezes mais que o mercado privado por meio de licitações. “O nosso almoxarifado central, o Sepat, inclusive é referência no setor de compras públicas. Na área da Saúde, mesmo, posso dizer que já efetuamos compra de medicamentos mais de 100% mais baratos que o praticado no mercado.”

DOCUMENTAÇÃO
Durante a reunião, havia ao lado do vereador Mantovani uma pilha de documentos, todos enviados pelo Executivo após solicitação dos membros da CPI da Saúde. Os vereadores e assessores, neste momento, analisam toda a documentação solicitada e que auxiliará na conclusão do inquérito.

A próxima reunião da CPI da Saúde está marcada para a próxima terça-feira (30), e também deverá ser transmitida ao vivo pelos canais oficiais da Câmara de Maringá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui