Brasil decide interromper as importações de tilápia do Vietnã

Brasil decide interromper as importações de tilápia do Vietnã

Depois de muitas reclamações sobre a importação da tilápia vietnamita e os alertas sobre os danos que essa ação causaria, o governo federal finalmente parece ter dado um passo atrás e anunciou a suspensão das importações do peixe asiático.

O deputado estadual Luiz Fernando Guerra vem tratando do assunto desde outubro de 2022, quando utilizou o plenário da Assembleia Legislativa do Paraná, para chamar a atenção dos colegas parlamentares e da população, e suplicar para que as negociações fossem interrompidas, já que essa ação só traria prejuízos aos brasileiros, especialmente ao Paraná, que é o maior produtor de tilápias do Brasil.

Na ocasião, Guerra foi enfático ao destacar a importância de valorizar os produtos nacionais. “Importar tilápia é um absurdo, pois desvaloriza uma cadeia que produz mais de 860 mil toneladas de peixe no país, gerando receita de R$ 9 bilhões apenas em 2022. Temos tilápia em quantidade suficiente para suprir toda a demanda do Brasil e, por isso, ainda conseguimos exportar para outros países. Nosso produto é de altíssima qualidade e muitas famílias dependem dessa atividade para sobreviver”, argumentou o deputado.

A suspensão das importações foi anunciada durante a visita do ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, ao Show Rural Coopavel, em Cascavel, no oeste do Paraná, uma das regiões que mais produz tilápias no estado.

Segundo o pronunciamento do ministro, a suspensão das importações é dada como certa. “O Brasil tem excelentes relações comerciais com o Vietnã e outros países ao redor do mundo, mas foi decidido ontem à noite suspender imediatamente qualquer importação de tilápia vinda do Vietnã”, garantiu.

A declaração chega poucos dias após vir à tona a notícia de que o primeiro carregamento de tilápia proveniente do Vietnã chegou ao Brasil em dezembro, o que frustrou e preocupou o setor que vinha pedindo para que a negociação não ocorresse. De acordo com diversos veículos de imprensa, além de questões econômicas desfavoráveis, as 25 toneladas do peixe que teria chegado ao país poderiam estar contaminadas com o vírus TILV. Vale lembrar que em outubro, na mesma data em que Guerra levantou o assunto na ALEP, o governo federal emitiu uma nota negando a informação de importação, entretanto as primeiras toneladas entraram no país dois meses depois.

Redação O Diário de Maringá

Notícias de Maringá e região em primeira mão com responsabilidade e ética

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *